​© 2019 Cara e Cultura Negra

CNPJ: 08.334.546/0001-90 

CEP: 70392-901
Contato: (61) 3225 6418

  • Facebook CCN
  • Instagram CCN
  • Youtube CCN
Buscar

Dança, música e exposições marcam a abertura do Festival Cara e Cultura Negra

O cantor e compositor baiano Mateus Aleluia fechou a noite com o show “Aclamação à Olorum”


O público lotou o foyer do Teatro Nacional Claudio Santoro na segunda-feira (9/9) para conferir o início da 15 ª edição do Festival Cara e Cultura Negra. O evento teve a participação e artistas, embaixadores e autoridades do governo, além de estudantes de universidades da capital. “Fiquei muito feliz ao ver tantos jovens junto de pessoas que já acompanham o festival há muito tempo, é muito bom ver essa troca de conhecimento”, comemorou a idealizadora do projeto, Flávia Portela.


A abertura oficial foi seguida do show do grupo brasiliense Filhos de Dona Maria, que tocou músicas do disco “Todos os Prazeres”. Além de “Exu Agradecer”, “Samba pra Ogum” e “Guardião das Leis”, o trio formado por Amílcar Paré, Artur Senna e Khalil Santarém cantou sambas de roda e sucessos de outros artistas.


A noite seguiu com o lançamento do Museu Digital da Memória Negra no Distrito

Federal; com a performance das Sambadeiras de Mestre Bimba e Rai Melodia e com o show “Aclamação à Olorum”, de Mateus Aleluia. O cantor e compositor baiano emocionou o público com um repertório que passou por seus trabalhos solo (“Cinco Sentidos” e “Fogueira Doce”) e canções inéditas.


Mateus Aleluia encerrou a apresentação com “Cordeiro de Nanã” e “Deixa a Gira Girar”, sucessos dos tempos dos Tincoãs. Herdeiros da diversidade cultural do Recôncavo Baiano, o grupo criado no final da década de 1960 fez história ao unir as tradições da região com boleros, arranjos vocais e sambas canções. “Foi uma ótima escolha trazê-lo para abertura, porque foi possível perceber como o público ficou anestesiado com a presença dele no palco”, destacou Flávia Portela.


O Festival

O Festival Cara e Cultura Negra deste ano será entre 9 e 23 de setembro, ancorado em seis frentes de programação: shows, oficinas, bate-papos, saraus, exposições e mesas de debate. As atividades serão distribuídas entre o foyer do Teatro Nacional Claudio Santoro, o Cine Brasília e o Espaço Cultural Renato Russo. A programação completa está disponível no site https://www.caraeculturanegra.com.br/festival


Fotos: Marcelo Dischinger

Foto em preto e branco: Webert Da Cruz











13 visualizações